Believe ❁
12

Believe ❁ Capítulo 4

03| Tudo vai melhorar!

Publicado em 11/10/2021

﹣ Esᴘᴇʀᴏ ᴅᴏ ғᴜɴᴅᴏ ᴅᴇ ᴍᴇᴜ ᴄᴏʀᴀᴄ̧ᴀ̃ᴏ ϙᴜᴇ ᴠᴏᴄᴇ̂s ɢᴏsᴛᴇᴍ!
﹣ Nᴀ̃ᴏ ʀᴇᴄᴏᴍᴇɴᴅᴀᴅᴏ ᴘᴀʀᴀ ᴍᴇɴᴏʀᴇs ᴅᴇ 12 ᴀɴᴏs.
﹣ Nᴀ̃ᴏ sᴇ ᴇsϙᴜᴇᴄ̧ᴀ ᴅᴇ ᴄᴜʀᴛɪʀ ᴇ ᴄᴏᴍᴇɴᴛᴀʀ ᴏ ϙᴜᴇ ᴀᴄʜᴏᴜ.

❝Pelo menos você poderia agradecer que está vivendo. Tem tantas pessoas no mundo que nem casa para viver tem e você ainda está reclamando?! - Exclama alto a loira e Raissa olha diretamente para os seus olhos. - Saiba que eu não gosto de viver aqui. Mas eu sou obrigada, meus pais tiveram que me deixar aqui. Eu sou infeliz, sou, mas pelo menos tenho uma vida para viver, um lugar para morar e algo para comer. ❞

Vários conteúdos legais no meu Instagram; @estelar__92.

Continua depois da publicidade

Cena 1

A minha cara com certeza deve ter sido o mico do ano. Eu realmente tinha certeza que o Bóris estava armando isso para mim faz um bom tempo. Só queria saber como ele conseguiu achar aquele lugar no fim do mundo.

- Sou Karen Jensen, diretora, coordenadora e dona deste lugar. - Ela junta suas mãos e olha diretamente para os meus olhos. - Aqui será sua casa por um longo tempo. - Sorriu, enquanto me via olhar com a uma das piores caras possíveis.

O Bóris iria me pagar. Disso eu não havia dúvidas.

Eu simplesmente não estava acreditando que eu iria ter que ficar alí, naquele fim de mundo. Esse será o meu fim.

- Venha! - Ela virou para trás e começou a andar. Eu poderia muito bem ficar alí, procurar uma saída, mas o frio que estava ali não era um dos melhores.

Na Rússia fazia muito frio, mas alí já estava passando dos limites. Eu tive que entrar.

Eu então resolvi ir atrás dela.

Continua depois da publicidade

Cena 2

Assim que eu passei por aquele portão ele fechou. Esse lugar era assustador para mim.

Não que ele parecesse uma casa mal assombrada, seu design era bem moderno e vintage, era lindo. Mas eu simplesmente não queria estar alí. Eu só queria estar na minha casa com... Ah, deixa para lá. Era melhor eu distrair minha cabeça mesmo, não queria chorar de novo e muito menos lembrar de tudo que aconteceu...

De repente a porta aonde dava acesso à dentro do lugar abre, a mulher entra e eu entro logo após.
A primeira coisa que vejo são jovens andando para lá e para cá. Todos eram adolescentes ou pré-adolescentes. Nenhum parecia ter a minha idade. Todos usavam o mesmo uniforme.
As meninas usavam uma saia branca, já os meninos uma calça branca. Eles todos usavam uma blusa branca com algum símbolo no seu lado direito. Deveria ser o símbolo daquele internato.

Quando estramos a primeira coisa que apareceu foi uma escada gigante. Aos lados tinha salas, corredores e jovens. Eles não paravam de andar.

Mas o que realmente me irritava era os olhares. Eles nunca haviam visto uma adolescente?!

- Essa parte é apenas para o fundamental ||. Aqui tem tudo que eles precisam, salas, bibliotecas, dormitórios, refeitórios, tudo! Você do ensino médio nunca deve descer aqui, como eles nunca podem subir. Você não precisa conhecer nada que tem aqui, irei mostrar apenas do segundo andar para cima, que é aonde você transitará. - Ela explicou detalhe por detalhe, mas, para falar a verdade, eu não prestava atenção em nada que ela dizia.

Aqueles olhares simplesmente me sufocavam. Eu não estava mais aguentando. Aquilo tudo me fazia lembrar tudo que eu passei quando estava na rua. Parecia várias... várias... Todas as cenas passavam pela minha cabeça, e... eu estava ficando tonta, iria desmaiar? Tomara que sim. Eu não quero voltar a viver tudo que eu já vivi.. não quero!

- Você está bem? - Finalmente a Senhorita Karen me tirou do transe. Não aguentava.
Sem querer uma lágrima caiu de meus olhos...

Tudo vai ficar bem.. Você era forte, Raissa.

Continua depois da publicidade

Cena 3

- Estou sim. - Falei, balançando a cabeça. A Senhorita Karen concordou com a cabeça e começou a subir as escadas.

Finalmente aqueles olhares iriam ficar para trás.
Quando subimos para o primeiro andar a Senhora Karen começou a explicar várias coisas.

"Aqui fica apenas as salas de aulas. Nesse lado direito você pode seguir reto e achar a biblioteca geral. Nela tem, mais ou menos, 14 mil livros. Também temos outra biblioteca, essa biblioteca é apenas para as ficções. Se você virar para a esquerda vai achar logo de cara a escada que levará para o segundo andar, este andar fica todas as salas relacionadas à artes." Declarou, mas, como já esperado, eu não prestava atenção. Ficava apenas olhando para os lados, pensando em tudo que aconteceu.
Por que eu amava pensar em coisas que me machucavam ou me deixavam mal? Não me pergunte.

Eu poderia pelo menos prestar atenção na parte da biblioteca. Mal sabia eu que aquela biblioteca seria o lugar mais importante da minha vida.

Depois nós fomos ao segundo andar, a Senhorita Karen explicou apenas uma coisa quando cheguei nele.

"Nosso internato é de origem brasileira, então nós falamos o português, a língua materna do país. Mas também falamos inglês."

Continua depois da publicidade

Cena 4

"Aqui é o andar dos dormitórios. É neste andar que você irá viver boa parte da vida. Pelo lado direito temos os dormitórios dos garotos, já no lado esquerdo temos os das garotas. Eu agora irei te levar até o seu quarto. A sua nova colega de quarto irá te apresentar tudo de importante. Ao longo do tempo você conhece mais o internato." Declarou por último antes de me levar até o meu "quarto". A cada porta que passávamos eu me sentia mais mal. Sentia mais vontade de não existir e de fugir dali. AAAARGH!

O barulho dos passos dos alunos, os olhares, as batidas na porta de meu quarto... Tudo isso me irritava a um ponto...

Depois de bater várias vezes na porta uma loirinha atende a Senhorita.

Seu cabelo era liso, grande. Seus olhos eram azuis. Ela usava aqueles óculos redondinhos. Aqueles óculos além de fofos me lembravam Harry Potter.
O melhor de tudo foi olhar diretamente nos olhos da jovem enquanto ela me olhava do dedinho do pé até o último fio de cabelo. A sua cara não era uma das melhores.

- Essa é a sua nova colega de quarto, a qual eu comentei. Raissa Morozova. - Apresentou a diretora. Neste momento a loira parou de olhar para mim e dirigiu seus olhos à Karen.

- Ah sim! - Balançou a cabeça. - Pode entrar. - Sorriu e olhou para mim.
Pessoas falsas são difíceis.

- Certo. - Karen olhou para mim com um sorriso gigante. - Esse será seu novo quarto. Louise irá lhe tratar muito bem.

Então quer dizer que o nome da falsidade é Louise.

Depois disso a senhora Karen saiu e a loira deu espaço para eu entrar. Demorei um pouco para entrar, mas entrei assim que me senti preparada.

Continua depois da publicidade

Cena 5

A primeira impressão que eu tive do quarto não foi uma das melhores.

Ele era minúsculo, tinha apenas duas camas e uma janela no meio. Apenas. Cada cama estava encostada em uma parede. Acredito que a minha devia ser a do lado direito, já que a do lado esquerdo estava toda desarrumada com vários livros um em cima do outro.

Resolvi me sentar na minha cama.

O seu colchão não era nem um pouco confortável.

Louise fechou a porta assim que eu sentei. Ela não ficou tão longe da porta. Continuou em pé um pouquinho longe dela.

Eu fico apenas admirando aquela pilha de livros. Para que a jovem usava tantos livros?

- Sim, todos esses livros são meus. - Garanti ela enquanto vê eu olhando os livros. - E peço que você nunca trisque um dedo neles. - Nesse momento eu resolvi desviar o meu olhar dos livros e olhar para a loirinha que ainda estava em pé.

- Acredito que a Senhorita Karen já tenha explicado muita coisa para você, mas, vamos lá para mais algumas coisas...

Continua depois da publicidade

Cena 6

- Em cada cama tem como se fosse um armário. Especificamente em baixo de cada cama. Nesse você pode guardar todas as suas coisas, mas enquanto você estiver fora desse quarto deve usar o uniforme do internato. Esse lugar foi criado por brasileiros, então o sistema de educação daqui é igual do Brasil. Ah, e uma coisa muito importante: Nós temos aulas boa parte do dia. Porém, as nossas aulas da manhã são as que todos devem fazer. Um exemplo, para ficar mais claro, é matemática. Já as aulas na parte da tarde você pode escolher entre várias artes. Pelo menos três. O resto do tempo temos para nós mesmas. O seu material didático já está no armário. - Termina Louise, mas a mesma percebe que eu não estava nem ligando.

Eu estava olhando as janelas, tentando segurar as lagrimas que tentavam cair.

É incrível como eu amava chorar por nada.

- Não acredito que vou voltar a viver esse lixo de vida.

Acho que eu havia pensado um pouquinho alto.

- Pelo menos você poderia agradecer que está vivendo. Tem tantas pessoas no mundo que nem casa para viver tem e você ainda está reclamando?! - Exclama alto a loira e eu olho diretamente para os seus olhos. - Saiba que eu não gosto de viver aqui. Mas eu sou obrigada, meus pais tiveram que me deixar aqui. Eu sou infeliz, sou, mas pelo menos tenho uma vida para viver, um lugar para morar e algo para comer. - Grita Louise. Depois de alguns segundos me encarando ela vê que foi longe demais. A mesma respira fundo. - Só peço que você não desconte sua raiva, decepção e descontentamento em cima de mim.

Continua depois da publicidade

Cena 7

Louise respira fundo novamente.

- Estou indo. - Exclama, abrindo a porta que não estava tão longe da mesma e saindo, batendo a porta com muita força.

Eu espero um pouco para ver se ela já estava longe.

Parece que sim.

Finalmente sozinha. Agora sim. Sem pensar duas vezes eu deixo aquelas lágrimas de sempre caírem e queimarem o meu rosto.

Às vezes era bom queimar o meu próprio rosto, entende?

Claro que elas não queimavam, mas eu realmente sentia que elas estavam queimando meu rosto... Por algum motivo..

Então eu peguei o travesseiro que estava em cima da minha cama e joguei ele com muita força no chão.

Precisava descontar a raiva que tinha em alguma coisa. Eu devo ter fingido que aquele travesseiro era Bóris.

De repente alguém abre a porta do quarto, e eu, a idiota, ainda chorando olho para o lado e assim que identifico Louise enxugo minhas lágrimas.

Continua depois da publicidade

Cena 8

- Você está chorando? - A loirinha pergunta, entrando dentro do quarto e fechando a porta.

Ela estava nas mãos com o que parecia alguma roupa.

- Não!!! - Exclamei o mais rapidamente que consegui. - Não estou e nem estava.

- Sei. - Louise pareceu não ter acreditado.

- Eu sei que é difícil, mas se você se reprimir desse jeito vai ser pior... tenta se conformar, assim vai doer menos. - Sorri, e eu olho para seus olhos rapidamente.

Louise olha para o travesseiro que eu havia jogado, pega ele e coloca-o no meu colo.

- Tá vendo esse travesseiro? Você pode descontar toda sua raiva nele, pode chutar, chingar, bater, gritar. Qualquer coisa. - Dá uma pequena risada logo após.

Continua depois da publicidade
  • - Certo, obrigada. - Raissa dá um sorriso meio falso.
  • - Ok. - A mesma não havia achado nem um pouco engraçado, nem gostado da ideia.
  • - Talvez... - Pensa a morena.

Cena 9

- Esse vai ser o seu uniforme. - Louise coloca a roupa no meu colo, em cima do travesseiro. Ele era igualzinho ao que ela usava. Ao que todos os alunos usavam. - Eu vou ir para a aula de agora, mas assim que terminar eu volto para te levar à próxima. Quando chegar quero que você esteja vestida certinha, com o livro de literatura em mãos. - Disse, e logo depois se retirou do quarto.

Novamente eu fiquei atenta para ter certeza que ela saiu. Logo que tive certeza fui vestir o meu uniforme, depois peguei aquele travesseiro e joguei a minha cara em cima do mesmo.

Comecei a chorar perdidamente.

Quer saber? Talvez chorar nesse momento iria me ajudar. Mesmo que as lágrimas queimem o meu rosto.

Continua depois da publicidade
Gostou do capítulo?

Continua no próximo capítulo

OBS: A língua falada entre Raissa e todos os outros personagens é inglês, pois é a única entre Português que ela sabia. Lembrem que o inglês é uma língua mundial. 😉
Outro OBS: Os capítulos estão mais curtos, porque as cenas são bem grandes!
𝓑𝓮𝓲𝓳𝓸𝓼, 𝓫𝔂𝓮, 𝓫𝔂𝓮! ♡

- Estela(r) ☆
Próximo Capítulo / Continue jogando

Adicione à sua biblioteca para ser notificado(a) de novas publicações!

O que você achou deste capítulo?
. 𝐓ulipa 𝐑ubi 📖

. 𝐓ulipa 𝐑ubi 📖 Perfeição 😔💖

Desculpe, mas quando falou do frio eu só pensei naquelas guerras que todo mundo congelou lá kajskas (alemães VS russos e não-sei-quem VS russos, eu acho)
Uma pena que a Raissa (veja quem lembrou o nome dela) não gostou muita da Louise, ela parece legal (ela tem livros cara, já sou fã dela)

DUAS BIBLIOTECAS
OUVI BEM? DUAS???
E OS PERSONAGENS AINDA RECLAMAM?????
Mano, tô indo pra lá agora, é sério

11/10/21 2 ResponderMais
conta desativada

conta desativada A Raissa tem um jeito de pensar tão...nem sei explicar.....
E sobre as bibliotecas, MEU DEUS, QUE SONHO!!!!!! Só pela paz e tranquilidade já vale a pena kkkk

14/10/21 1 ResponderMais
Cancelar