Não chame meu nome
16

Não chame meu nome Capítulo 4

Somos iguais - Cap 01

Publicado em 22/06/2022

Indicação de música: Daya Girl Power - Sit still look pretty

Ouçam com tradução!!!!!!!!!!!

Continua depois da publicidade

Cena 1

Primeiramente, qual roupa Bryce estava vestindo nessa tão esperada festa?

OBS: A autora que vos fala usou o termo "vestido" para descrever a roupa dela ao decorrer do capítulo, mas não necessariamente precisa ser um vestido. Por favor, leiam com esse detalhe em mente.

Continua depois da publicidade

Cena 2

Imagem da cena

------------------------------------ BRYCE DENVER --------------------------------------

04 de novembro, sexta
00:56 AM


Assim que saio do banheiro o som da música chega aos meus ouvidos, abraçando meus sentidos e aquecendo o meu sangue, mantenho minha cabeça baixa enquanto passo pelo corredor, muitas pessoas permaneciam aqui em cima embora eu soubesse que não era nem um sexto das pessoas que estavam lá em baixo.

A iluminação da casa estava um pouco escura, as luzes variando entre vermelho, azul e roxo. As pessoas pela qual eu passava ou estavam muito bêbadas a essa altura ou estavam se agarrando com outra pessoa, ou outras... na penumbra do cômodo.

Meu olhar baixo encontra um amassado em meu vestido e me apresso em ajeita-lo enquanto caminho, meu corpo conhece essa casa como se fosse a minha própria e sei que em menos de dois segundos tenho que virar à direita no corredor para poder descer as escadas que dão lá em baixo, na enorme sala de estar.

Viro meu corpo rumo à direita ainda desamassando meu vestido e me choco com tudo em algo duro e alto, meu corpo recebe o choque antes de meu cérebro assimilar a situação, não acredito que dei de cara com a parede.

- Ai - um sussurro de dor sai de mim.

Levanto a cabeça rapidamente na tentativa de disfarçar caso alguém tenha visto, mas percebo que não dei de cara com uma parede alta e dura e sim trombei de frente com uma pessoa, o reconheci de imediato, era um jogador do time de basquete de uma universidade vizinha que Alissa fez o desfavor de me apresentar algumas horas atrás, o seu nome era Dante Rossi se eu não estivesse me enganado.

Controlo ferozmente os meus olhos para impedi-los de revirarem agressivamente no meu globo ocular, Dante era um cara bonito, eu até tentaria ter uma conversa genuína com ele caso essa não fosse a quarta vez que o trombo "coincidentemente" em menos de 3 horas.

Eu odeio parecer mesquinha ou achar que todo mundo é obcecado por mim, mas nem de muito longe isso seria uma coincidência, estava na cara que era de proposito.

- Você se machucou? - o cheiro de álcool transpirava por todos os seus poros, e o sorriso em seu rosto me dava ânsia de vômito.

Me afasto bruscamente, mas sem querer parecer tão afetada endireito minha postura - Não, estou ótima - coloco um sorriso forçado em meu rosto - Sinto muito, estou indo em um lugar agora - me esquivo para a esquerda na tentativa de passar pelo seu corpo de quase dois metros de altura mas ele faz a mesma coisa, de novo, isso não parece coincidência.

Dante se escora na parede impedindo a minha passagem - Estou de carro, posso te dar uma carona.

Ai minha santa paciência.

- Também tenho um carro - não conseguia impedir o tom venenoso de minhas palavras, mas ele se quer percebeu - Agora, com licença - empurro seu ombro para que me desse espaço, ele não se move um centímetro.

- A gente pode ir dar uma volta, eu e você, se você quiser - ele realmente não se tocava?

Um sorriso de raiva e de "não é possível que isso está acontecendo" sai de mim, e como se não bastasse, ele entende tudo errado e se aproxima de mim.

Eu realmente não consigo parar de sorrir mas estendo uma mão para impedi-lo de continuar a invadir o meu espaço, forço as palavras saírem de minha boca enquanto controlo os meus nervos.

- Não quero, Dani - suas feições perdem totalmente o sorriso arrogante e o brilho.

- Meu nome é Dante - seu tom de voz não tão mais condescendente.

- Isso já explica muita coisa, não? - falo em relação a eu mal saber o seu nome direito, ou fingir que não sei - Tenho que encontrar alguém agora e você está no meu caminho, então se puder sair da frente, agradeço. - respiro muito forte para controlar o meu divertimento.

Ao se aproximar de mim ele abriu uma brecha e não penso duas vezes ao me impulsionar por ela e me esquivar para longe dele. Por Deus, que inferno.

- Você tem um namorado? - eu não tinha totalmente passado por ele então não havia como fingir que não o escutei.

Viro apenas o meu rosto em sua direção - Não tenho - antes que ele pudesse chegar a qualquer conclusão termino de falar - E não tenho nenhum interesse em relação a isso também - gesticulo de mim para ele - Não sei o que Alissa te falou, mas não estou disponível.

Saio antes de que ele reaja de qualquer forma, mas eu não ligava, era bom deixar as coisas às claras. Mas eu mataria Alissa assim que a visse, eu sabia que minha amiga não faria nada para me ver mal mas ela podia ter evitado a situação.

Desço as escadas e me deparo com um mar de pessoas, a música aqui em baixo era duas vezes mais alta, vejo centenas de rostos conhecidos mas nada dos meus amigos mais próximos, converso com uma turma de garotas por cerca de uns 20 minutos antes de avistar a cabeça loira da minha melhor amiga na multidão, me despeço das garotas e vou em sua direção.

Olívia estava junto com os nossos amigos ao redor de uma mesa cheia de bebidas. Álcool, maravilha.

Na mesa estavam Olívia, Dean, Hunter, Mike e mais vários dos outros caras do time, assim como algumas garotas, me aproximo e percebo que Olívia estava conversando fervorosamente com um cara que eu não conhecia, pelo menos ela estava se divertindo.

Me aproximo de Dean e ele passa um braço em volta dos meus ombros e em seguida me oferece sua cerveja, balaço a cabeça em negativa. Aproximo minha boca de seu ouvido para que ele possa ouvir por sobre o barulho da música.

- Preciso de algo mais forte - olho para ele com uma sugestão em meu rosto.

Dean era um cara muito sábio, mas entre tudo entendia muito de bebidas, ele comprava whisky's muito, muito bons. E os guardava em uma estante em seu quarto, eu tinha permissão para pega-los a qualquer hora, e pegaria. Logo Logo.

Me envolvo em uma conversa com Dean e Hunter sobre bebidas e acabo me esquecendo de ir busca-la de fato. Alissa por fim aparece no meio do grupo e eu lhe lanço um olhar fuzilante, eu ainda estava um pouco brava. Ela se aproxima de mim com um copo na mão e me abraça por trás.

- O que houve? - seu cheiro se infiltra por meu nariz, morangos e mentas?

- Houve o seu amigo - eu estava gritando de novo por causa do barulho, mas duvido que mais alguém escutasse.

Alissa me olha confusa - Seja mais específica, B.

- Dante Rossi, o maluco que você me apresentou - reviro meus olhos para ela.

- Dante não é meu amigo - minha vez de olha-la com confusão - Ele é amigo de um amigo e me pediu para apresenta-lo a você - Alissa dá de ombros.

Lhe lanço um olhar de "Você não fez isso", mas a entendo, não tinha como adivinhar que o cara era um esquisito.

- Nunca mais faça isso - me viro para ela - O cara está me seguindo feito um maníaco e esbarrando em mim como se isso fosse uma coincidência. Ele é estranho para um caralh*.

Minha amiga sorri e depois me abraça - Se olhe no espelho Bryce, quem não seria obcecado por você?

Sorrio e solto um som de objeção - Estou falando sério, nunca mais me apresente a alguém que você não conheça - me afasto do abraço - É irritante. Terrivelmente irritante.

Alissa balança a cabeça loucamente - Tudo bem, Tudo bem - um sorriso lindo moldando seu rosto. Reviro os olhos mas um sorriso também nasce em minha boca.

Só de falar sobre esse cara já veio a minha obsessão para beber até o considerado problemático.

- Agora eu preciso muito de uma boa bebida - falo para Alissa já me afastando - Te vejo daqui a pouco.

Subo as escadas de volta ao segundo andar, por Deus como eu estava doida para beber e rezando a todos os anjos e divindades que não me deixasse trombar outra vez com Dante Rossi.

Algumas pessoas por onde eu passava me olhavam e sorriam, sorri de volta para alguns mas segui o meu caminho. No final do corredor, segunda porta à direita era o quarto de Dean, abro a porta e entro.

O quarto era gigante, observo em todos os quantos e vejo que está vazio por incrível que pareça, de um jeito eles conseguiam dar uma super festa e garantir que ninguém entrasse nos quartos, aqui era lugar proibido, para estranhos, claro.

Relaxo, já estive aqui centenas de vezes, primeiro reparo na cama king size de docel perfeitamente arrumada, depois na parte onde tinha o sofá, a mesinha e a televisão, junto com uma grande estante recheada de livros e de bebidas. Cheguei onde eu queria.

Chego mais perto e observo as lindas garrafas ornamentadas, vejo então a que me prende a atenção, uma garrafa de Royal Salute 21 anos escocês.

Pego ela e percebo que está pela metade, nem sequer me preocupo em pegar um copo. Levo-a a boca e relaxo quando o líquido desliza pela minha garganta, esquentando todo meu corpo.

Me encosto na parede ao lado da estante, me sento no chão ali mesmo. Só por uns instantes, aqui estava muito tranquilo em comparação ao restante da casa e se fosse para ser verdadeira, eu estava muito entediada.

Sentada aqui o sofá tampava a minha visão da porta, logo eu não poderia ver se alguém entrasse, do mesmo modo que não me veriam ali no canto da parede. Bebo outro gole e pego o meu celular.

Fico ali mexendo nas minhas redes sociais por um bom tempo, até que ouço a porta se abrir e fechar. Muito provavelmente seria Dean, mas me pego imaginando se fosse o insistente Dante Rossi, ele não me veria de primeira então daria tempo de... me esconder em baixo do sofá?

Por Deus, eu seria capaz de fazer isso. Olho com receio para a porta. Alívio me toma por completa quando vejo a pessoa que veio ao quarto. Não é Dean que entra ali, graças as divindades também não é Dante Rossi.

Fico quieta quando um lindo Ben Parker entra em meu campo de visão, mas ele ainda não sabe que estou aqui.

Continua depois da publicidade
Gostou do capítulo?

Continua no próximo capítulo

Não perca o próximo capítulo!

aelin ainda não publicou o próximo capítulo.


Adicione à sua biblioteca para ser notificado(a) de novas publicações!

Anterior
O que você achou deste capítulo?
Marina

Marina Pelo amor de Deus, esse Ben é muito gostoso e nem disse nada ainda

22/06/22 9 ResponderMais
Thayssakayllan1

Thayssakayllan1 TUDOOOOOOOOOOOO E MAIS UM POUCO.
esse dante muito stalker. sei não hein.

22/06/22 8 ResponderMais
alinaa

alinaa Mds que coisa louca, Dante estranho demais. E vamos fingir que não sabemos como termina essa festa aí em, Bryce, Ben e o Royal Salute 👀👀👀

22/06/22 6 ResponderMais
Marina

Marina Genteeeeeee que isso, que surto mds 🤩🤩🤩 quando sai o próximo?

22/06/22 4 ResponderMais
julinha

julinha Ai meu casal mano, amo eles demais e o pior é que sabemos como termina no final. Eu vou sofrer muitoooooooooo.

22/06/22 3 ResponderMais
Marina

Marina Bryce minha inspiração de vida

22/06/22 2 ResponderMais
Raquelsay

Raquelsay Vou sofrer no final...🤧

23/06/22 1 ResponderMais
Laura43

Laura43 TUDOOOOOOO

23/06/22 0 ResponderMais
_-Aleatória-_

_-Aleatória-_ MELHOR DO MUNDOOOOO KHGSAGDISHO

5h 0 ResponderMais
alinaa

alinaa Amo muito 😍

22/06/22 0 ResponderMais
Cancelar